Filho motiva criação de ONG para desmistificar o autismo

Publicado em 3 de setembro de 2014

Filho motiva criação de ONG para desmistificar o autismo

A A&R apoia e divulga estudos científicos, treina e capacita profissionais e desenvolve políticas públicas. Recentemente, a ONG distribuiu 32 mil cartilhas Autismo: Uma Realidade para Escolas Públicas do Estado de São Paulo Foto: wallybird / Shutterstock

Conheça o trabalho da Autismo & Realidade – Associação de Estudos e Apoio, que distribuiu cartilhas sobre o problema

 

Uma ONG criada para abastecer as pessoas com informações atualizadas sobre o autismo. Essa é a proposta da Autismo & Realidade – Associação de Estudos e Apoio, presidida pela advogada Paula Balducci de Oliveira, 55 anos, e por seu marido, o empresário Hermelindo Ruete de Oliveira, 58 anos. São campanhas, atividades e orientações às famílias para diagnosticar, tratar, educar e incluir socialmente a pessoa com TEA – Transtornos do Espectro Autista.

A A&R apoia e divulga estudos científicos, treina e capacita profissionais e desenvolve políticas públicas. Recentemente, a ONG distribuiu 32 mil cartilhas “Autismo: Uma Realidade para Escolas Públicas do Estado de São Paulo”, além de marcar presença no 1º Congresso Brasileiro de Autismo Aplicado ao Sistema Único de Saúde (SUS). Participa anualmente da campanha Light it Blue, da Organização das Nações Unidas (ONU), em que o Cristo Redentor é iluminado de azul e monumentos de outros locais também recebem a mesma cor.

“A A&R é uma associação de pais para pais e para nós é importante que se sintam acolhidos e saibam que não estão sozinhos. Aprendemos com eles diariamente, pois são nossas referências, para quem nos dirigimos”, conta Paula. Hoje, a entidade conta com 25 funcionários, três deles remunerados, e com doações de pessoas jurídicas, físicas, colaboradores, e a realização de eventos.

O número de interessados é expressivo: 50 mil pessoas acessam o site por mês, que ainda contabiliza 100 mil downloads de manuais e cartilhas. Cerca de 70 mil pessoas fazem parte dos perfis da ONG em redes sociais e outras 14 mil estão cadastradas no informativo.

“A relação afetiva é o mais importante, tem de ser estabelecida desde cedo e não se pode perdê-la. Nada pode ser conhecido pela inteligência, se antes não for percebido pelos sentidos. Olhar, compreender, corrigir, esperar, sorrir, elogiar, dar e dar-se são formas diferentes de conjugar o verbo amar”, explica Paula.

Paula E Hermelindo Ruete de Oliveira, fundadores da ONG Autismo & Realidade – Associação de Estudos e Apoio, juntos à filha Júlia a, que teve diagnóstico de autismo e Síndrome de Asperger Foto: Fábio Cerati / Divulgação

 

A motivação
Em 2002, Paula e Oliveira, constataram que um de seus quatro filhos, Julia Balducci de Oliveira, 26 anos, sofria de autismo e, seis anos depois, teve detectada a Síndrome de Asperger, o que inspirou o casal a fundar a instituição. “A Júlia tem orgulho da A&R, se sente feliz em poder participar e sabe que temos muito respeito e admiração por ela, sua força interior, porque fala sobre si mesma, com desenvoltura e tranquilidade. Ela tem boa autoestima, sem se sentir inferior a ninguém, e se orgulha de ser Asperger”, revela Paula.

Para o futuro estão previstas a capacitação online para pais e professores da rede pública municipal e a realização do Congresso Internacional de Autismo na Vida Adulta: Ciência, Sociedade e Realidade, em 2015.

faça uma doação